GNR: Operação Censos Sénior 2017

0
9
GNR: Operação Censos Sénior 2017
- Publicidade -

A Guarda Nacional Republicana (GNR) vai realizar durante todo o mês de março  a Operação Censos Sénior 2017, realizada em todo o território nacional e que visa identificar a população idosa que vive sozinha e/ou isolada, com o objetivo de atualizar os registos das edições anteriores e identificar novas situações.

Durante a operação, serão realizadas ações de sensibilização para que esta população adote comportamentos de segurança que permitam reduzir o risco de se tornarem vítimas de crimes.

Os militares da GNR irão divulgar conselhos de segurança relativamente à entrada em circulação no dia 4 de abril da nova nota de 50 euros, da série “Europa” e farão ainda a divulgação do programa “Residência Segura”, que permite recolher os elementos necessários para a elaboração do mapa da região, com a localização georreferenciada de todas as residências aderentes ao projeto.

Esta identificação geográfica torna assim mais eficaz as ações de patrulhamento e a vigilância dos militares da GNR, tornando ainda mais célere a resposta em casos de urgência.

Na Operação Censos Sénior 2016 foram sinalizados 43 322 idosos dos quais 26 000 vivem sozinhos, 4 626 vivem isolados, 3 085 vivem sozinhos e isolados e 9 611 não se enquadram nas situações anteriores, mas em situação de vulnerabilidade fruto de limitações físicas e/ou psicológicas.

Castelo Branco é o nono distrito do País com menos idosos a viverem sozinhos e isolados

Entre os 18 distritos de Portugal, Castelo Branco é o nono com menor registo de população idosa a viver isoladamente e/ou sozinha. O distrito albicastrense, segundo os números apresentados pela GNR, foi ainda um dos doze distritos em que o número de casos sinalizados em 2016 aumentou em comparação com o ano anterior.

Desde 2011, ano em que foi realizada a primeira edição da Operação Censos Sénior, têm sido sinalizados “mais idosos a viverem sozinhos e/ou isolados ou em situações de vulnerabilidade”: 15 596 no ano 2011; 23 001 em 2012; 28 197 em 2013; 33 963 em 2014; 39 963 em 2015; e 43 322 casos identificados em 2016.

Pela primeira vez, em 2016, foi realizado o levantamento das pessoas transportadoras de deficiência, tendo sido sinalizadas 600: 166 vivem sozinhas; 38 vivem isoladas, 33 vivem sozinhas e isoladas; e 363 não enquadradas nas situações anteriores”, concluem os dados apresentados pela GNR.